foto1
Mestre Akio Matsuura - Kung Fu
foto1
Treino Muay Thai
foto1
Eliseu Matsuura - Vitória por Nocaute - All Fights
foto1
Carlos - Campeão Boxe King 2017-2018-2019
foto1
Associação Akio Matsuura - Rua da Bahia, 581 - Centro
Telefone: 55 31 3213-3403

Bai Si – A cerimônia de discipulado

Bai Si – A cerimônia de discipulado Nas artes marciais a relação entre mestre e discípulo é sempre mais próxima e formal. Todos sabemos que só devemos chamar o mestre de determinada maneira, como Sensei nas artes japonesas, e devemos cumprimenta-lo de determinada maneira, curvando-se no mesmo exemplo. Nas artes marciais chinesas esta proximidade e formalidade são ainda mais acentuadas graças à influência confucionista na cultura chinesa. A filosofia de Confúcio colocava a família como a coisa mais importante ao indivíduo, por isso no kung fu nos referimos a mestres e colegas como família, o que já foi abordado antes, e usamos o cumprimento kinlai, que também já abordamos. Mas ainda há um elemento que ainda não discutimos: a cerimônia de discipulado.


bai si, cerimônia do discipulado das artes marciaisEsta cerimônia se chama拜師 Bai Si em cantônes ou Bài Shī em mandarim, literalmente traduzido como “curvar-se ao mestre”; as vezes também é chamada de cerimônia do chá. Na antiguidade, os estilos de kung fu eram guardados por gerações de famílias, ou ensinado a poucas pessoas. Não haviam “academias” ou “escolas” como existem hoje, e os mestres não ensinavam para qualquer um, geralmente tratando técnicas, métodos de treinamento, formas, etc. como um segredo. As vezes possuíam alunos comuns a quem ensinavam o básico do estilo, mas só ensinaria o restante aos discípulos. Havia basicamente 3 maneiras de se tornar um discípulo e passar pela cerimônia: quando o aluno comum mostrava talento, perseverança e dedicação poderia ser escolhido pelo mestre para realizar o Bai Si; ou então um colega mais velho que já era discípulo poderia indicar um mais novo para a cerimônia; ou falar diretamente ao mestre que está interessado em se tornar discípulo, o que ele poderia aceitar, recusar ou exigir mais tempo de pratica do aluno.


Durante a cerimônia, mestre e aluno juravam lealdade e comprometimento um para o outro. O mestre ensinaria os maiores segredos da sua arte e em troca o aluno possuiria dedicação total à arte marcial e seu mestre. Fazer o Bai Si significava que você teria uma relação muito mais próxima com seu mestre, quase de pai e filho. Era como se fosse um clube especial, muito difícil de ser admitido, mas muito fácil de ser expulso. O novo discípulo estaria sob constante provação. Deveria mostrar qualidade técnica, moral e seguir estritamente as regras da escola, deveria obedecer qualquer comando de seu mestre, ter obrigações especiais como limpar, manter e promover a escola/local de treino, ensinar aos colegas mais novos, representar o mestre em ocasiões onde ele não poderia comparecer, e muitas outras obrigações. As vezes também era proibido de treinar com outros mestres, a não ser por permissão de ambos.


Os alunos que não cumprissem com suas obrigações ou quebrassem as regras da escola eram expulsos permanentemente, não poderiam nem voltar a ser alunos comuns. O Bai Si também significava que a partir dele você seria um representante oficial de seu mestre e seu estilo. Perder ou ganhar alguma luta, sua boa ou má conduta afrente de qualquer assunto, repercutiria na imagem do seu mestre e escola, trazendo desonra para todos.


As regras e procedimentos para realização do Bai Si variavam de escola para escola. Mas geralmente seguiam os seguintes passos:

O aluno a se tornar discípulo seria instruído a respeito dos procedimentos da cerimonia por um colega mais velho ou o próprio mestre. No dia da cerimônia, a escola inteira seria reunida, era um motivo de celebração.
O mestre estaria virado de costas para o altar da escola, sentado numa cadeira. O discípulo estaria ajoelhado em frente ao mestre. Um colega mais velho ou a pessoa que te indicou, ele estaria atrás do mestre à sua esquerda.
O aluno mais velho colocaria chá numa xícara de chá chinesa e entregaria ao candidato. Este entregaria a xícara ao mestre ou a seguraria com as duas mãos à frente do seu corpo.
O candidato então curvaria a cabeça e diria algo como “Meu nome é…, sou filho de…, venho de… Eu humildemente peço a honra e privilégio de ser aceito como discípulo do mestre…” Então se levantaria e ofereceria a xícara ao mestre.
O mestre seguraria a xícara sem beber. Então o candidato se curvaria 3 vezes (o Kautau叩頭, maneira chinesa de se curvar a um superior) e faria um juramento. A cada vez que se curvasse juraria compromisso com o mestre, escola e tradição/estilo.
O mestre então beberia o chá que lhe foi oferecido se aceitasse o pedido do aluno. Em seguida colocaria chá de um outro tipo para o candidato, talvez extremamente quente ou amargo, e o candidato deveria beber num gole só apesar da dor ou desconforto, significando a disposição para enfrentar dificuldades a diante.
Depois de beber o chá o candidato entrega a xícara ao aluno mais velho e oferece um Hong Bao 紅包 para o mestre, um envelope vermelho contendo uma soma de dinheiro pré-determinada. Poderia haver uma grande ou razoável quantia, dada em notas, sempre somando em número ímpar e sem conter o número 4 ou 14, pois 4 em chinês (四) se fala “sei” em cantonês e “sì” em mandarim são muito parecidos com a palavra morte (死), “séi” em cantonês e “sǐ” em mandarim.
O mestre pegaria o Hong Bao e ajudaria o aluno a se levantar. Então diria algo como “Deste dia em diante você é parte da minha família e será chamado de…” então o novo discípulo receberia um nome da família de kung fu.
Finalmente o mestre e novo discípulo tirariam uma foto juntos, com o mestre sentado e o aluno a sua esquerda.
A partir de agora o aluno se transformaria num TouDai (徒弟), um discípulo, aprendiz.
Lembrem-se que o Bai Si não era uma cerimônia de graduação. Na graduação o aluno poderia receber um certificado e tiraria uma foto à DIREITA do mestre, o que representava que o aluno estaria pronto para ensinar seus próprios alunos.


O Bai Si não era realizado apenas para o discipulado em artes marciais, também poderia ser usado para pintura, música, culinária, medicina e etc. Hoje em dia poucas academias ainda realizam o Bai Si, seja porque pouca gente está disposta encarar os desafios antes e depois da cerimônia, ou porque a escola não mais planeja reservar parte do conteúdo do estilo para um seleto punhado de alunos. Mas de qualquer forma devemos lembrar de como era difícil aos nossos antepassados de kung fu aprender essa arte, e também honrar e nos comprometer com nosso mestre e tradição.Ezio Nogueira.

VÍDEOS

Aprenda as técnicas de treinamento para Boxe com o Mestre Akio Matsuura - Parte 1

Aprenda as técnicas de treinamento para Boxe com o Mestre Akio Matsuura - Parte 2

Treino de Muay Thai mirim com Vitor Matsuura

 

Mestre Akio treinando a aluna Nuriely Ferreira dos Santos  Boxe Feminino

 

 

 

BOXE

O boxe ou pugilismo é um esporte de combate, no qual os lutadores usam apenas os punhos, tanto para a defesa, quanto para o ataque. A palavra deriva do inglês to box, que significa bater, ou pugilismo (bater com os punhos), expressão utilizada na Inglaterra entre 1000 e 1850.

História

Jovens lutam boxe. Afresco da civilização minóica, em Acrotiri, Santorini, cerca de 1500 a.C.

Remontando aos séculos XVIII e XIX, quando de seu nascimento na Inglaterra, o boxe era praticado com as mãos nuas. Essas lutas com as mãos descobertas eram frequentemente brutais, de modo que o boxe acabou sofrendo intensas mudanças em 1867, com a formulação das Regras de Queensberry, que previam rounds de três minutos, separados por um intervalo de um minuto, além do uso obrigatório das luvas. Essas regras entraram em vigor em 1872.

O boxe foi primeiramente considerado um desporto olímpico em 688 a.C., na 23ª olimpíada da antiguidade; seu vencedor foi Onomastus de Esmirna, que foi quem definiu as regras do esporte.[1] Posteriormente, quando houve o ressurgimento dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, nas Olimpíadas de 1896, em Atenas, o boxe não foi incluído como uma das modalidades da competição.[2] O boxe então somente retornou nas Olimpíadas de 1904, a terceira da Era Moderna, em St. Louis, e desde então foi praticado em todas suas edições posteriores, com exceção às Olimpíadas de 1912, em Estocolmo.

O muay thai (lit. boxe tailandês) descende de uma arte marcial tailandesa chamada muay boran (lit. boxe antigo), que incorporou regras e movimentos do boxe inglês. Os golpes dados com os punhos são praticamente os mesmos, porém em uma luta de muay thai é permitido usar os cotovelos, os joelhos e as canelas para golpear os adversários.

Golpes

  • Jab ou jabe: golpe frontal com o punho que está a frente na guarda. Embora seja geralmente usado para afastar o oponente ou para medir a distancia, ele pode nocautear;
  • Direto: golpe frontal com o punho que está atrás na guarda. É um golpe muito rápido e forte;
  • Cruzado (cross): tão potente quanto o direto, porém o alvo é a lateral da cabeça do adversário. O cruzado termina seu movimento com o braço flexionado, diferentemente do direto;
  • Hook ou gancho: desferido em movimento curvo do punho, atingindo lateralmente a cabeça ou abdome, dificultanto a defesa do oponente. Difere do cruzado pela distância que é aplicado, próximo e contornando a guarda adversária;
  • Uppercut: golpe desferido de baixo para cima visando atingir o queixo do oponente.
  • Jab-direto: desfere-se socos com ambas as mãos ao mesmo tempo.

Exemplo de um gancho de direita.

Nocaute

O nocaute, ou knockout (KO) na língua inglesa, ocorre quando um dos lutadores aplica um golpe que derruba seu adversário no chão, incapacitado-o de terminar o combate. Caso o lutador esteja visivelmente atordoado pelos golpes do adversário, mas ainda permaneça de pé, o juiz pode interromper a luta, o que configura um nocaute técnico, no inglês technical knockout (TKO).

Golpes baixos

Os golpes baixos são os aplicados abaixo da cintura e não são permitidos no boxe. Se o outro adversário bater em uma dessas partes, o mesmo será advertido e, na reincidência, poderá ser eliminado, a critério do árbitro.

Os golpes permitidos são os aplicados na parte frontal do adversário, como no rosto e no abdome.

Sparring

Sparring é o pugilista que ajuda no treinamento de um outro pugilista. Muitos lutadores profissionais começam suas carreiras como sparring, antes de se profissionalizarem.

Alguns exemplos de sparrings, que depois vieram a se tornar campeões incluem: Larry Holmes, sparring de Muhammad Ali; Oscar de la Hoya, sparring de Julio Cesar Chavez; e Riddick Bowe, sparring de Evander Holyfield.

Categorias

Os pugilistas são divididos em categorias, de acordo com seus pesos. Atualmente existem dezessete categorias reconhecidas no boxe profissional e onze no boxe amador.

As Categorias de peso do boxe são subdivisões nas quais são escalados os pugilistas, a fim de tornar as lutas mais equilibradas. A pesagem oficial é realizada um dia antes da luta e, caso um atleta esteja fora do peso mínimo ou máximo, não estará apto a participar do combate.

O padrão de medidas é o inglês, que utiliza como medida de peso a Libras, por isso os valores em quilogramas utilizam casas decimais.

Categorias de peso do Boxe Profissional

Estão listadas as categorias das quatro principais organizações do boxe internacional: Associação Mundial de Boxe (AMB), Conselho Mundial de Boxe (CMB), Federação Internacional de Boxe (FIB) e Organização Mundial de Boxe (OMB); além da classificação do site BoxRec, referência internacional de classificação independente.

Limite de Peso

AMB

CMB

FIB

OMB

BoxRec

+ 200 lb (+ 90.7 kg)

Peso Pesado

até 200 lb (90.7 kg)

Cruzador

Cruzador

Cruzador

Pesado-Júnior

Cruzador

até 175 lb (79.4 kg)

Meio-Pesado

até 168 lb (76.2 kg)

Super-Médio

até 160 lb (72.6 kg)

Peso-Médio

até 154 lb (69.9 kg)

Médio-Ligeiro

até 147 lb (66.7 kg)

Meio-Médio

até 140 lb (63.5 kg)

Super-Leve

Super-Leve

Médio-Júnior

Médio-Júnior

Meio Médio-Leve

até 135 lb (61.2 kg)

Peso-Leve

até 130 lb (59.0 kg)

Super-Pena

Super-Pena

Leve-Júnior

Leve-Júnior

Super-Pena

até 126 lb (57.2 kg)

Peso-Pena

até 122 lb (55.3 kg)

Super-Galo

Super-Galo

Pena-Júnior

Pena-Júnior

Super-Galo

até 118 lb (53.5 kg)

Peso-Galo

até 115 lb (52.2 kg)

Super-Mosca

Super-Mosca

Galo-Júnior

Galo-Júnior

Super-Mosca

até 112 lb (50.8 kg)

Peso-Mosca

até 108 lb (49.0 kg)

Mosca-Ligeiro

Mosca-Ligeiro

Mosca-Júnior

Mosca-Júnior

Mosca-Ligeiro

até 105 lb (47.6 kg)

Peso-Mínimo

Peso-Mínimo

Mini-Mosca

Mini-Mosca

Peso Mínimo

Categorias de peso do Boxe Amador

Aplica-se aos Jogos Olímpicos, Jogos Panamericanos e demais competições ligadas a Federação Internacional de Boxe Amador.

Peso

Categoria

+ 91 kg (+ 200 lb)

Super-Pesado

91 kg (200 lb)

Peso-Pesado

81 kg (178 lb)

Meio-Pesado

75 kg (165 lb)

Peso-Médio

69 kg (152 lb)

Meio Médio

64 kg

Meio-Médio Ligeiro

60 kg

Peso-Ligeiro

56 kg

Peso-Galo

52 kg

Peso-Mosca

49 kg

Mosca-Ligeiro

 

Organização das lutas

Combate de boxe.

As entidades de boxe são as responsáveis pela organização das lutas desde 1910, quando foi criada a União Internacional de Boxe (UIB), em Paris.

Posteriormente, outras entidades surgiram, outras deixaram de existir ou se fundiram a novas entidades, até que nos dias atuais temos em vigor quatro grandes entidades:

Além dessas, existe ainda a Associação Internacional de Boxe Amador (AIBA), que regulamenta as lutas olímpicas. No Brasil, existe a Organização Desportiva Boxista Brasileira (ODBB).

Campeões do mundo

Os campeões mundiais de boxe remontam até os primórdios de sua criação no século XVIII, na Inglaterra, quando o boxeador James Figg foi reconhecido como o primeiro campeão de boxe.

Os campeões mundiais de boxe modernos foram divididos por categorias de peso, próximo ao final do século XIX, sendo que inicialmente os boxeadores encontravam-se distribuídos em apenas cinco categorias: peso-pesado, peso-médio, peso-leve, peso-pena e peso-galo. Mais tarde, ao longo do tempo, novas categorias de peso foram sendo acrescentadas.

Posteriormente à criação das entidades mundias de boxe, já durante o século XX, os campeões mundiais também passaram a ser divididos por diferentes cinturões mundiais.

O boxe amador é disputado nas Olimpíadas desde 1904, com exceção à de 1912.

Pugilistas famosos

Os maiores boxeadores de todos os tempos estão imortalizados no "Hall da Fama" de duas instituições reconhecidas internacionalmente.

Entre tantos outros renomados pugilistas, o "Hall da Fama do Boxe" contempla nomes como os de Rocky Marciano, Muhammad Ali,Hurricane carter, Jack Johnson, Sugar Ray Robinson, Bob Satterfield, Jake LaMotta, Jersey Walcott, Joe Louis, Max Schmeling, Jack Dempsey, Max Baer, Larry Holmes, Joe Frazier, George Foreman, Sonny Liston, Ken Norton, Julio César Chávez, Lennox Lewis e Mike Tyson.

Somente um pugilista brasileiro figura no "Hall da Fama" - Éder Jofre, o "galinho de ouro". No entanto, ao longo dos anos, outros pugilistas brasileiros também se tornaram notórios, tais como Servílio de Oliveira, Adilson Maguila Rodrigues, Miguel de Oliveira, Acelino Freitas (Popó) e Valdemir Pereira, o "Sertão".

MUAY-THAI

Muay thai (em tailandês: มวยไทย; RTGS: muai thai; AFI[muɛ̄j tʰɑ̄j]; lit. "boxe tailandês") é uma arte marcial originária da Tailândia, onde é considerado desporto nacional. Esta disciplina física e mental que inclui golpes de combate em pé é conhecida como "a arte das oito armas", pois caracteriza-se pelo uso combinado de punhos, cotovelos, joelhos, canelas e pés, estando associada a uma boa preparação física que a torna uma luta de contato total bastante eficiente.

Eliseu e Vitor

Assemelhando-se a outras artes marciais como o pradal serey do Camboja, o tomoi da Malasia, o lethwei da Birmânia e o muay lao de Laos, o muay thai foi desenvolvido à cerca de dois mil anos, sendo atualmente considerada uma das mais poderosas lutas de contato do mundo, que para além de utilizar elaboradas técnicas de punhos e pernas, é encarada como uma das artes marciais que mais faz uso eficiente dos joelhos e cotovelos. O muay thai tornou-se popular no século XVI, contudo começou a ser internacionalmente difundido apenas no século XX, quando inúmeros lutadores tailandeses conquistaram diversas vitórias sobre representantes de outras artes marciais. O desporto desenvolve um ótimo condicionamento físico, concentração e autoconfiança ao praticante. A maioria das associações e confederações mundiais não aprovam o uso das cotoveladas em lutas oficiais mantendo assim a integridade física dos atletas, sendo estas técnicas consideradas somente nas regras asiáticas, embora ultimamente as mesmas se encontrem cada vez mais em evidência.

Hoje em dia o muay thai ter-se-á convertido num símbolo nacional do reino da Tailândia, sendo o desporto mais praticado no país. As suas raízes encontram-se no muay boran, uma arte ancestral que foi desenvolvida a partir de uma forma de luta designada de Chupasart. Esta arte deu origem ao atual muay thai e ao krabi krabong. Atualmente, o muay thai é visto como sendo um desporto radical que favorece a realização de apostas com ênfase no sudoeste asiático.

KUNG FU

O Kung-Fu é originário da China e nasceu da necessidade  de sobrevivência dos antepassados na luta contra animais ferozes e contra inimigos.


Conta a lenda que certa vez, um monge chinês Ta Mo subiu numa montanha e se pôs a contemplar o movimento dos animais, as posições que tomavam para a luta e a maneira como se defendiam dos ataques. Observando tais movimentos, desenvolveu um trabalho de adaptação desses animais para  o homem,  estruturando-os de acordo com as possibilidades físicas do homem. Assim nasceu o Kung-Fu, como chamam os ocidentais esta luta chinesa.
Esta arte marcial milenar vem orientando as pessoas, bem como ajudando os jovens a se direcionarem em disciplina, respeito com os colegas.

Mestre AKIO MATSUURA

De um modo geral, estrutura o corpo físico, em combinação com a mente, extravasando as ansiedades, angústias e stresses acumulados no dia a dia, fortalecendo-os.


Pode ser praticado por adultos e crianças de ambos os sexos.
Combina-se ginástica completa de todo o corpo, bem como movimentos, denominados Katis, onde compila-se, em sequências baseadas em movimentos de animais, mãos e pernas.


Decorrentes das observações dos ataques dos animais, de onde originou-se o Kung-fu, surgiram os vários estilos praticados no mundo, conseqüentes das mutações e adaptações para o ocidente.

Hoje a realidade brasileira mostra uma arte marcial chinesa (Kung-fu), voltada para o bem estar físico e mental do praticante. Não há para o seguidor, na medida em que passa a conhecer o fundamento da doutrina, aspirações de ser um "lutador profissional", seu treinamento é voltado para o relaxamento da mente e o desenvolvimento corpóreo, atribuindo-lhe saúde e bem estar.

   

Originário do famoso Templo Shaolin na China, o Kung Fu é a mais antiga e diversificada arte marcial. Seu treinamento possibilita ao praticante o desenvolvimento de reflexos rápidos, incrível coordenação, equilíbro e a consciência mental e física para a defesa pessoal.

O Garra de Águia do Norte (Ying Zhao Chuan) é o estilo ensinado na Associação Akio Matsuura. Combinando velocidade e força com graça e beleza, através de movimentos fluídicos e circulares, permite a definição, tonificação e fortalecimento de todo o corpo.
 

 

A utilização de socos, golpes com palma, chutes e rasteiras é característica do estilo, bem como saltos e acrobacias. O sistema Garra de Águia é famoso por suas 108 técnicas de luta, que formam o seu coração. É baseado na técnica de chaves, agarramentos em pontos de pressão e imobilização das articulações, utilizando para este fim a teoria do Yin e Yang - força suave e dura. Isto habilita o praticante a defender sua integridade física, independentemente do tamanho ou força do oponente.

Também é desenvolvido um extenso trabalho com armas tradicionais chinesas (bastão, espada, lança, entre outras). Cada arma oferece uma contribuição diferente para a prática da defesa pessoal e para o desenvolvimento da coordenação corporal.

Benefícios

    Controle Físico: desenvolvimento da coordenação motora, força, resistência flexibilidade, velocidade, ritmo, auxiliando no crescimento e ainda controle do aumento e diminuição do peso.

    Controle Emocional e Mental: proporciona maior segurança, tranquilidade e controle das ações, desenvolvimento do raciocínio, os reflexos, maior atenção e concentração mental.

    Defesa Pessoal: muito rico em técnicas de defesas diversas, incluindo variadas técnicas de ataque que por sua vez só deverá ser usada, em último recurso.
    

Filosofia a Ser Seguida Pelos Praticantes de Artes Marciais

CHI - Firme de caráter
Desenvolver responsabilidade, sinceridade, honestidade e serenidade para viver em paz, conhecer a si próprio, estabelecendo objetivos e prioridade.

HEI - Desprendido de valores
Ser fiel e amigo, estando sempre disposto a ajudar os companheiros na amizade.

JUNG - Corajoso e heróico
Auxiliar os fracos e combater os abusos, com absoluta isenção de discriminação, ajudar sempre aos necessitados e oprimidos, através da justiça, em harmonia com a força.

WAI - Ativo em todos os empreendimentos
Usar da inteligência, raciocínio e disciplina para manter uma postura ativa, oportuna e responsável. Não se moldar aos aspectos das mentes de outras pessoas e estar sempre disposto ao aprimoramento do raciocínio, sendo sempre assíduo e pontual, não usar meios ilícitos e abusar da ganância para obter a riqueza e valores morais, visto que o essencial da vida é ter saúde, amigos e felicidade.



Bai Si – A cerimônia de discipulado


 FRASES DO KUNG-FU

"O que rejeita a disciplina menospreza a sua alma,
porém quem aceita a correção adquire entendimento."

“Bom discípulo hoje, bom mestre amanhã.”

“Estude o exercício para o que ele serve e ele terá serventia.”

 “Se ha respeito no coração, demonstre em suas atitudes.”

“Mesmo uma escada de muitos degraus, não serve de nada sem base”

 “Pratique para entender, depois, entenda a prática.”

 “Em ombros contraídos e tensionados, iniciam-se as pontes tortas, e pontes tortas não são seguras…”

 “Entenda as portas e perceba os caminhos…”

No kung fu, há os que sabem e os que não sabem. Existe também aqueles que temem saber. Conhecimento gera uma enorme responsabilidade.”

 “Uma mulher bem treinada pode desenvolver um Kung fu invejável. Ela pode não possuír a força que os homens tanto valorizam, mas muitas tem a sensibilidade que os homens por muitas vezes ignoram.”

“Choy Lay Fut não é um estilo para ser apenas praticado, é um estilo para ser compreendido.”

“Ignorância atrapalha o raciocínio, rigidez a sensibilidade.”

“Nao veja, sinta!

Nao bloqueie, desvie!

Nao obstrua, ocupe!

Nao pense, flua!”

Mesmo durante a prática, quando golpear, faça- o com determinação. Superficialidade pode tornár-se um vício danoso.”

“Assim como uma árvore depende da raiz, a técnica depende da base.”

“Em kung fu nada é tão complicado quanto pensamos, ou tão irrelevante quanto parece.”

 “Cuidado para não confundir objetividade técnica Com insuficiência técnica”

 “Quando tiver dificuldade para entender “o que é”, procure entender “o que não é.”

“Pouca prática e muitas dúvidas? Mais prática.

Muita prática e muitas dúvidas? Menos prática.

Muita prática e poucas dúvidas? Uma xícara de chá.

Só muita prática? Mais  chá.

Só muitas duvidas ? O meu chá esfria.”

“Saber escrever é importante, mas saber ler é essencial. Saber ouvir é sabedoria, mas saber falar é fundamental.”

“O bom kung fu não é violento. O bom Kung Fu é eficiente.”

 “A beleza do meu estilo está no prazer que encontro em praticá-lo. A eficiência dele eu encontro na sensibilidade para compreende-lo.”

“As vezes, pequenas portas,  acessam grandes espaços.“

“A fluência técnica, resulta da continuidade do raciocínio. Quando o seu pensamento é fragmentado, a sua técnica também será.”

“Muitas vezes, o conhecimento está dentro de nós. Não o enxergamos, porque, estamos sempre buscando-o  á nossa volta.”

 “Aquele que  já foi águia, jamais aceitará ser pombo.”

    " O tigre nos ensina a força... O leopardo nos ensina o poder e a velocidade... A serpente nos ensina a flexibilidade e a respirar... A garça nos ensina a graça e harmonia flúdica... O macaco nos ensina a agilidade e astúcia natural... A águia nos ensina a garra... O louva-a-deus nos ensina a leveza e o dragão nos ensina a cavalgar o vento!"

“Toda dor passa... e o remédio é o tempo”

“Nenhuma vitória é completa, nem vale apena, se ela cria um derrotado”

“A vida é feita de escolha e cada escolha é uma renúncia”

“Quando meus inimigos pararem de falar mentiras sobre mim paro de falar verdades sobre eles”

"A vida de alguém é limitada; a honra e o respeito duram para sempre."

    “Quem te diz a verdade não pode ser teu inimigo”

“As vezes, as palavras mais significativas são aquelas que não são ditas”

“A amizade é como um castelo de areia na beira da praia. O egoísmo, como a onda do mar”

“Ninguém realiza nada ficando parado”

“O tempo é o dono das revelações”

“Não devemos ter vergonha de errar, mas sim de não reconhecer e assumir o próprio erro”

“Amigo não é aquele que te faz sorrir com uma mentira e sim aquele que te faz chorar com uma verdade”

"A vida de alguém é limitada; a honra e o respeito duram para sempre."

“Não importa o que fazemos no jogo da vida... ele é sempre o mesmo o que muda apenas são os jogadores”

“Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas qualquer um pode recomeçar e fazer um novo fim”

Galeria de Imagens



  • Category: MMA